Um pouco mais de mim...

"Só Deus aponta a estrela que vai brilhar."


Meu nome é Cláudia Cristina. Tenho 20 anos. Aos seis meses de gestação da minha mãe, quis dar " o ar da minha graça " e nasci antecipadamente. 
Aos nove meses de vida, detectaram a minha paralisia cerebral. Minha mãe nunca desanimou. Insistentemente foi em busca de tratamentos para o meu caso.
Ela descobriu uma instituição que tratava de crianças bem novas com esse problema. E foi assim que fui parar no Lar e Escola São Francisco, onde fui matriculada, recebi meus primeiros cuidados e fui afetuosamente introduzida no mundo fora de casa. Sinto muita gratidão por essa instituição. Foi lá que comecei a entrar em contato com o mundo com todas as suas duras realidades. Encontrei pessoas que se aproximaram amistosamente e outras que nem tanto. Adultos que me tratavam de uma forma nem tanto respeitosa, e assim aprendi a me defender e mostrar meus pontos de vista. Tudo para mim era novo e de tudo fazia um aprendizado para a minha vida.
Mais tarde, ficamos sabendo da existência de um clube para paraplégicos, o CPSP, que fazia tratamentos através de esportes. Comecei a fazer natação, dança de cadeira de rodas e conheci o boccia adaptado.
Aperfeiçoei-me neste esporte, até então desconhecido para mim, através de um técnico do clube , chamado Toninho. Nessa época, conheci o Ezequiel, que juntamente com o meu técnico, me colocou nas competições dessa modalidade. O que antes não gostava muito, e quis até desistir, acabou sendo a grande paixão da minha vida: Boccia Adaptado! Chegamos a viajar por vários lugares do Brasil. Ganhei medalhas !
Atualmente , trabalho com a Luciana que é minha treinadora e calheira. Nos comunicamos pelo olhar. Tenho muito carinho por ela.
Tenho vários sonhos.
Quero, por exemplo fazer faculdade de Educação Física e ser técnica de Boccia Adaptado.
Estou estudando com entusiasmo para concretizar esse sonho.
Sou persistente naquilo que pretendo para minha vida. 
Gostaria de agradecer à minha mãe em especial, por ter acreditado em mim e investido nos meus sonhos.
Agradeço também às pessoas que fazem parte do meu dia a dia, incentivando-me e respeitando-me nas minhas limitações.
Agradeço à Deus, por dar-me coragem , garra e sonhos...
Desejo, com este blog, deixar minhas experiências e que elas sirvam de estímulo para todos que , por algum motivo, enfrentem qualquer tipo de limitação, mas que acreditem na força dos sonhos e busquem com a mesma garra que eu, realizá-los!
O caminho está na nossa frente; basta dar o primeiro passo!
Com muito carinho,
Cláudia Cristina
[...]

Bocha Adaptada


Opção saudável para pessoas com deficiência física

Por Priscila Sampaio

Foto Saulo Cruz/CPB

Eliseu dos Santos na final das Paraolimpíadas de Pequim, em 2008, contra a dupla de Portugal
Qualidade de vida e integração social. A prática da bocha oferece esses benefícios e muito mais. "Por meio da modalidade, eu me reintegrei socialmente. O treino fez com que a doença não avançasse, o que poderia, um dia, paralisar meus movimentos. Antes, eu tinha a sensação de que na minha vida faltava algo. Agora, não", revela Eliseu dos Santos, de 34 anos, que tem deficiência física em razão de distrofia muscular progressiva e é jogador profissional da seleção brasileira paraolímpica. Sim, além da evolução pessoal, o cadeirante descobriu a vocação de atleta. "Em 2005 fui levado por um amigo para conhecer a Associação dos Deficientes Físicos do Paraná (ADFP) e lá, depois de um convite de Darlan Ciesielski Júnior, treinador da equipe de bocha, iniciei os treinos", lembra. Aos 10 anos, a patologia atacou os músculos de Eliseu, comprometendo o movimento de pernas e braços.
Mesmo após intenso tratamento na adolescência, o quadro se agravou e ele, tornou-se cadeirante. "O esporte proporcionou a mim fôlego e força para me locomover da cadeira para cama e de lá para cá, além de melhorar a respiração. Porém, me deu muito mais do que eu poderia imaginar: a bocha proporcionou-me um casamento", diverte-se. O cadeirante conheceu sua esposa nos treinos, já que praticava manobras todos os dias, por, no mínimo, duas horas por dia. Hoje, o campeão chega a treinar até seis horas seguidas. Tamanha dedicação já lhe rendeu recompensas como a medalha de bronze na categoria individual e ouro no jogo de dupla nas Paraolimpíadas de Pequim (China). Sem patrocínio, o jogador se mantém com o "Bolsa Atleta", um auxílio que o Ministério do Esporte cede para despesas pessoais e custos de treinos e competições.

A dupla Eliseu e Dirceu José trouxe para o Brasil a medalha de ouro na modalidade

Como se joga bocha?
É comum vermos em praças e clubes idosos jogando essa modalidade. Bolinhas e uma reta não explicam o que o esporte realmente é. A Sentidos explica: A bocha adaptada é similar à convencional: o objetivo é encostar o maior número de bolas coloridas na bola-alvo, conhecida como bolim. Ganha-se pontuação quando se chega à esfera do alvo. O jogo consiste em um conjunto de seis bolas azuis, seis bolas vermelhas e uma bola branca (bolim). A quadra dever ser lisa e plana como o piso de um ginásio em madeira ou sintético. A área mede 6 metros de largura por 12,5m de comprimento. É permitido o uso das mãos, dos pés ou de instrumentos de auxílio para atletas com grande comprometimento nos membros superiores e inferiores. Há três maneiras de se praticar o esporte: individual, em duplas ou em equipes. Os atletas são divididos por classes conforme a deficiência.

A equipe de bocha da APODEC. No centro, o diretor Esnane da Silva, à direita, o atleta Octavio Cícero e à esquerda, Weverton Belo

Entenda a divisão de classes
Na bocha adaptada existem as classes: BC1, BC2, BC3, BC4. A categoria BC1 é composta por pessoas com tetraplegia espástica severa com ou sem atetose, na qual há pouca amplitude de movimentos ou força funcional em todos os movimentos nas extremidades e no tronco. São atletas que dependem da cadeira de rodas e precisam de um ajudante durante o jogo, assim como de assistência tanto para a remoção da cadeira de rodas quanto para pegar a bola. Na classe BC2 jogam pessoas com tetraplegia espástica de severa à moderada, com os mesmos itens relacionados na classe BC1. A única diferença é que não precisam de ajuda de terceiros. Os atletas da BC3 têm maiores comprometimento motor e utilizam calha e um calheiro para realizar o jogo como suporte para remessar a bola. Na BC4 aos jogadores possuem diplegia de moderada à severa com controle mínimo nas extremidades das mãos, e ainda, com limitações de tronco e pouca força funcional nos quatro membros. Eles não recebem ajuda. O treinador Darlan Ciesielski Júnior é também o técnico da seleção brasileira. Ele diz que não há grandes dificuldades no início dos treinamentos porque a modalidade é totalmente adaptada para pessoas com deficiência. Um empecilho porém atrapalha a expansão do esporte no Brasil: o material necessário para os treinos. "O kit é pessoal e levado para todos os jogos. O ideal, vendido em Portugal, custa cerca de 350 euros. Infelizmente nem todos os jogadores têm condições de importá-lo. Mas a Associação Maringaense de Desportos para Deficiente vende materiais de boa qualidade com preços acessíveis", fala Darlan.

[...]


Curau

Curau

Selo - Receita testada e aprovada
Conteúdo do site DELÍCIAS DA CALU
Vote nesta receita:
Curau: receita da fazenda em sua casa!
Foto: Mauro Holanda
Preparo: Rápido (até 30 minutos)
Rendimento: 4 porções
Dificuldade: Fácil
Categoria: Doce caseiro
Calorias: 436 por porção

Ingredientes

. 4 espigas médias de milho
. 3 xícaras (chá) de leite
. 1 colher (sobremesa) de manteiga
. 1 lata de leite condensado
. 1 xícara (chá) de água
. Canela em pó a gosto

Modo de preparo

1. Lave em água corrente as espigas de milho e retire os fios. Rale-as e misture com a água.

2. Passe em uma peneira e junte o leite e a manteiga.

3. Leve ao fogo baixo sempre mexendo até engrossar.

4. Acrescente o leite condensado e deixe cozinhar por cinco minutos em fogo baixo.

5. Retire do fogo e despeje em tigelas individuais. Polvilhe com a canela em pó e sirva frio
.
BOM APETITE!!!!!!!!!!!!!
[...]

IMAGENS DE FESTAS JUNINAS



[...]

Um pouco da História das Festas Juninas



Existem duas explicações para o termo festa junina. A primeira explica que surgiu em função das festividades ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que está festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.
De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal).
 Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.
Todos estes elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenas, afro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.

[...]

Feliz dia das Mães

[...]

Planejando o meu futuro





Gosto de jogar bocha e penso fazer carreira nesse esporte. Eu começo a imaginar como eu seria lá na frente.....
Eu seria uma técnica amorosa, mas ao mesmo tempo seria rígida e cobraria mais a cada dia dos meus atletas.Focaria conquistas e campeonatos desde os mais simples , com pouco valor até os campeonatos mais importantes que dão prêmios valiosos até mesmo em dinheiro ou "bolsa atleta".
Gostaria de ter dois auxiliares que combinassem com meu perfil de trabalho, assim quando surgisse algum problema, eles poderiam solucionar sem que eu precisasse estar presente.A menos que fosse um problema que exigisse a minha interferência. Gostaria de estar presente quando o problema fosse relacionado com um dos meus atletas.
Isso tudo porque acredito que um trabalho bem organizado, planejado e cobrado, produza um bom resultado. E essa é a minha meta. E mais um ponto importante: a ajuda e colaboração de todos. Importante também é fazermos reuniões onde colocarei os pontos a serem trabalhados sem a presença do público e familiares, apenas os atletas e auxiliares. Permitirei que se coloquem porque tudo isso faz o grupo crescer e melhorar cada vez mais.Longe do público , não estaria expondo meus atletas. Nas salas de reuniões, eu poderia ficar mais à vontade e....."descascar o abacaxi"!!!!Deixar as coisas bem claras e falar que não vou "passar a mão na cabeça de ninguém"!!serei amiga mas ao mesmo tempo, quero que melhorem a cada dia. deixaria ainda um recadinho: que nunca chorem na frente de ninguém tentarei com todos os meus esforços e minha equipe,ajudar meus atletas e seguir em frente.
[...]

Dois e dois: quatro


Dois e dois: quatro 

Como dois e dois são quatro
Sei que a vida vale a pena
Embora o pão seja caro
E a liberdade pequena

Como teus olhos são claros
E a tua pele, morena
como é azul o oceano
E a lagoa, serena

Como um tempo de alegria
Por trás do terror me acena
E a noite carrega o dia
No seu colo de açucena

- sei que dois e dois são quatro
sei que a vida vale a pena
mesmo que o pão seja caro
e a liberdade pequena.



 (Ferreira Gullar)





[...]

O último poema

O último poema


Assim eu quereria meu último poema
Que fosse terno dizendo as coisas mais simples e menos intencionais
Que fosse ardente como um soluço sem lágrimas
Que tivesse a beleza das flores quase sem perfume
A pureza da chama em que se consomem os diamantes mais límpidos
A paixão dos suicidas que se matam sem explicação.



Manuel Bandeira


[...]

Cláudia, uma mensagem para você!



Bom mesmo é ir a luta com determinação, abraçar a vida e viver com paixão.
Perder com classe e vencer com ousadia, pois o triunfo pertence a quem mais se atreve e a vida é muito para ser insignificante.
Eu faço e abuso da felicidade e não desisto dos meus sonhos.
O mundo está nas mãos daqueles que têm coragem de sonhar e correr o risco de viver seus sonhos.

(Charles Chaplin)

Com carinho,
Kátia
[...]

Cláudia.... Uma Menina Mulher.



Deus a colocou no meu caminho, como um grande presente.
É Menina, quando sorri.
É Mulher, quando expressa o que quer.
Vê a Vida como quem organiza uma partida esportiva: estabelece regras e metas para alcançar o que deseja; cobra suas próprias superações e visualiza a Vitória.
É sensível frente ao mundo.
Recenhece e agradece por aqueles que estão ao seu lado.
Sensibiliza-se diante das belezas naturais como flores e animais.
É livre. Sonha alto. Viaja longe...

Gostaria de aproveitar este momento para dizer o quanto estou feliz por estar trabalhando ao seu lado.
O quanto tenho recebido deste contato...Quanto de Luz para a minha Vida!!!!
Eu, que cheguei para ensiná-la...Aprendo muito mais!!!!

Obrigada por existir ,minha linda!
Com carinho,
 Sua "prô": Kátia
[...]

com carinho para minha mãe




Como é Grande o Meu Amor Por Você
Roberto Carlos

Eu tenho tanto pra lhe falar
Mas com palavras não sei dizer
Como é grande o meu amor por você
E não há nada pra comparar
Para poder lhe explicar
Como é grande o meu amor por você
Nem mesmo o céu nem as estrelas
Nem mesmo o mar e o infinito
Não é maior que o meu amor
Nem mais bonito
Me desespero a procurar
Alguma forma de lhe falar
Como é grande o meu amor por você
Nunca se esqueça, nem um segundo
Que eu tenho o amor maior do mundo
Como é grande o meu amor por você [2x]
Mas como é grande o meu amor por você

claudia 
[...]

sonhar e não ceder

Escolhi a borboleta para simbolizar o voo para o sonho. A borboleta quando sái do casulo , ja  quer voar.
A  mesma coisa acontece quando desejamos algo. E quando a gente não consegue ´´voar´´,devemos
tentar até conseguir .E quando conseguimos alçar voo ,queremos voar sem limite ,
a borboleta quando se sente em perigo,busca outras soluções, ela não desiste e mesmo que se canse (ou até morra),ela ficou ali tentando.Sua atitude servirá de exemplo para os filhos. ela passará a mensagem: tentem sempre, até conseguir. jamais desistam´´.
E se essa borboleta quiser ir mais além, ela poderá ! Com certeza sua  mãe dirá :
_ filha, tome muito cuidado. não vá se machucar. vá atrás de seus sonhos e que consiga todos os seus objetivos. lembre-se que a sua mãe estará sempre rezando para que não se machuque nos seus vôos e consiga sempre o que você quer.´
Assim também devemos zelar pelos nossos sonhos. e com cuidado... jamais desistir!


Claudia
09/12/2011
[...]

gatinhos sobreviventes

Aos sete dias de vida, o gatinho vira -lata Ozzy foi achado no lixo de condominio em São Paulo. Ele não conseguia miar nem se mexer.alguem achou que estivesse morto e o jogou fora. Sorte a dele que a dupla Susan Yamoto e Juliana Bussab,fundadoras da ong aug (adote um gatinho),havia sido chamada para resgatar a ninhada uma gata tinha tido no jardim  do condominio.acharam ozzy,um dos  filhotes, inerte no latão.
Susan conta que sua desconfiança -e a de alguns moradores _ e que os gatinho recèm nascidos tivessem
virado brinquedo nas mãos das crianças ,que os arremessavam contra a parede. a travessura rendeu a Ozzy uma lessão no cerebro, que afeta sua visão, sua capacidade de equilibrio e algumas habilidades motoras.segundo susan,o gato le vou um ano para aprender a usar a caixa arreia e andar.
mas Ozzy, que hoje tem cinco anos è um exemplo de superação, diz Susan ele e todo tortinho,mas saudavel e feliz.jeito dele,mais feliz. a historia de Ozzy e uma das12sobre felinos salvos de situações de risco narrada por Susan e Juliana em gatos sortudos historias emocionantes de bichanos resgatados da livros de safra,que sera lançado hoje em sp.de acordo com Juliana o objevo do livro é desmistificar 12 crenças populares sobre gatos. no caso de Ozzy,a ideia era mostrar que gato não é brinquedo.outra lenda posta em xeque  no livro é a de que gatos sempre caem  em pé.o exemplo usado é o de Chica,que caiu de uma janela do quinto
andar e ficou paraplégica.

Fonte:

 http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1019513-livro-narra-historias-de-gatos-resgatados-de-situacoes-de-risco.shtml

Por Claudia

 

[...]

IX jogos indígenas



Os Jogos dos Povos Indígenas são considerados um dos maiores encontros esportivos, culturais e tradicionais de indígenas da América. Com o objetivo central de promover a celebração e a interação entre as etnias, diferentemente das competições esportivas do homem branco, os Jogos reúnem modalidades específicas das diversas culturas representadas. Além disso, têm por finalidade fomentar a cultura de paz e incentivar, valorizar e fortalecer a prática de esportes tradicionais. Nas competições, prevalece a comemoração, pois o evento traz o lema: "o importante não é competir e sim celebrar"
Em 2007, os Jogos dos Povos Indígenas chegam a sua nona edição. Neste ano, as cidades pernambucanas de Recife e Olinda vão sediar os Jogos, que acontecem entre os dias 24 de novembro e 1º de dezembro. A data obedece ao calendário lunar indígena, cuja abertura coincide com a lua cheia de novembro.
São esperados para participar do evento mais de mil indígenas de aproximadamente 40 etnias, vindos de todas as regiões brasileiras. Eles ficarão alojados no Ginásio Geraldão, em Recife, local onde também serão realizadas as apresentações culturais. O refeitório e o acampamento estão sendo planejados por arquitetos, a fim de criar uma estrutura parecida à de aldeias.
Já na praia do Bairro Novo, em Olinda, será montada uma arena para as modalidades esportivas. A única exceção será o futebol, que acontecerá na Orla de Brasília, no Pina, em Recife. A Praia do Bairro Novo também será o local das provas aquáticas, como canoagem e natação. Lá serão exibidas diversas canoas e maneiras de se levar o barco, já que em algumas culturas o barco é levado em pé, e em outras, sentado. Isso varia bastante conforme as águas próximas de cada aldeia, observando-se aspectos de correnteza, profundidade e vegetação.
A realização dos IX Jogos dos Povos Indígenas, foi no dia 24 de novembro a 01 de Dezembro em Orlinda e Recife - Pernambuco está a cargo do Ministério do Esporte, Comitê Intertribal - Memória e Ciência Indígena, Funai, Governo Estadual de Pernambuco, Prefeituras de Recife e Olinda, com o apoio dos ministérios da Educação, Justiça, Cultura, da Funasa, Caixa Econômica Federal e de mais cinco lideranças indígenas.

Fontehttp://olimpiadasindigenas-mc.blogspot.com/
[...]

Jogos Parapan 2011

Os IV Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara 2011 foram realizados de 12 a 20 de novembro de 2011. Os 275 eventos esportivos de 13 esportes do Parapan 2011 foram disputados por 1.358 atletas (homens e mulheres) de 24 países. As provas dos Jogos Parapan-Americanos de 2011 foram disputadas em Guadalajara.

Assim como nos Jogos Parapan-americanos do Rio de Janeiro em 2007, o Brasil ficou com o primeiro lugar no quadro de medalhas do Parapan 2011.
Quadro de Medalhas dos Jogos Parapan-americanos de Guadalajara 2011
Resultado Final. Atualizado em 23 de novembro de 2011.

                                                                      

C - País - O - P - B - T

1 - Brasil - 81 - 61 - 55 - 197
2 - Estados Unidos - 51 - 47 - 34 - 132
3 - México - 50 - 60 - 55 - 165
4 - Cuba - 27 - 16 - 11 - 54
5 - Argentina - 19 - 25 - 31 - 75
6 - Colômbia - 18 - 23 - 13 - 54
7 - Venezuela - 16 - 14 - 18 - 48
8 - Canadá - 13 - 22 - 28 - 63
9 - Jamaica - 1 - 4 - 0 - 5
10 - Chile - 1 - 0 - 3 - 4
11 - República Dominicana - 0 - 1 - 1 - 2
12 - Trinidad e Tobago - 0 - 0 - 2 - 2
13 - Peru - 0 - 0 - 1 - 1
Total - 277 - 273 - 252 - 802

Legenda:
C - Classificação |  País | O - Medalhas de Ouro | P - Medalhas de Prata | B - Medalhas de Bronze | T - Total.


Critério de classicação dos Jogos Parapan-Americanos: 1) total de medalhas de ouro; 2) total de medalhas de prata; 3) total de medalhas de bronze
[...]

... e Natal é para todos

Natal para os famintos
Para os desempregados
Para os sem lar
Para os sem laços
Para aqueles que Papai Noel nunca existiu 
que o presente é uma roupa, de pano de guarda chuva, 
que a vida maltrata que a enxurrada leva tudo
Natal
Consome-nos a alma
De união de família
Fecha-nos o vidro
Nos sinais fechados
Que desejamos comida,
Emprego, saúde, casa
Que Papai Noel exista
E venha sempre de saco cheio
Que a vida nos abrace
O amor aconteça
E se faça paz
É porque é natal


E natal é para todos.



de Jorge Amancio
[...]
Olá pessoa amiga..





Loading...